sexta-feira, 19 de julho de 2019

Educação


Será que essas pessoas que gritam por uma educação de qualidade sabem do que estão falando?

O que podemos entender por educação de qualidade? Será que educar é orientar, instruir?

Não, meus amigos, orientação é outra coisa. Instrução também! 

Você orienta um rebanho, você instrui um soldado, mas não deve fazer o mesmo com um aluno.

Estão usando a palavra educação, realmente, para instruir e orientar as massas, com o intuito de manipular as consciências, fazê-las escravas de conceitos a valores que se ajustam aos mais escusos interesses dos poderosos. Fazem isso há muito tempo. Acreditem, eles não nos querem "educados", eles nos querem "orientados".

Educar vem do Latim, Educere, significa, literalmente, "conduzir para fora", ou seja, é um processo de manifestação de um conhecimento que já existe latente no indivíduo. Seria como a maiêutica de Sócrates, um parto, trazer realmente para fora. Isso se faz usando os recursos cognitivos e a capacidade do indivíduo de raciocinar e tirar suas próprias conclusões. 

Instrução e orientação, como disse brilhantemente meu caro amigo Marcelo Ferrari, é ter o outro dentro de nós, é carregarmos modelos, manuais, valores e crenças que não são nossas; enfim, acabamos nos tornando um depósito de todo um conjunto de normas que nos farão aptos a participar de grupos sociais com funções e obrigações voltadas para interesses de forças que desconhecemos. Existe um viés educacional que quer nos entulhar de coisas e que nos fazem viver uma vida essencialmente abstrata e mental. Com isso, perdemos toda a conexão com o corpo, com as nossas verdades intrínsecas, com aquilo que trazemos na bagagem espiritual e passamos a nos guiar por estatutos e regulamentos que nos uniformizam.

Educação é coisa séria, é preciso olhar para si e questionar, a todo instante, tudo que nos apresentam. Refazer a péssima programação que fizeram em nossa mente e trabalhar o autodescobrimento. A mídia orienta, a religião orienta, as escolas orientam, mas apenas um verdadeiro Mestre poderá educar. Enquanto aceitarmos passivamente esse quadro mórbido de controle e modelação, continuaremos na condição de escravos. Não podemos negar que sob a égide de argumentos que são amplamente aceitos, todo um paradigma social é construído. A hegemonia preconizada por Gramsci passa pela cooptação das instituições educacionais e não é segredo que a política sempre esteve, mesmo que de forma pálida, presente nas grades curriculares. (esse nome grade eu acho horrível, lembra prisão)

Napoleão costumava dizer que a história é uma fábula contada pelos vencedores; da mesma forma, tudo aquilo que se configura como a nossa realidade também é a reprodução desta triste verdade. Não podemos tratar a educação apenas com o conceito conteudista, educar é preparar o aluno para os grandes desafios da existência, é preciso fazer mais e melhor.


Autor: Paulo Tavarez
   
Terapeuta Holístico, Palestrante, Musico, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define.
Eu sou o que Eu sou!

E-mail: paulo.tavarez@cellena.com.br

Um comentário:

Ultimo Artigo

O que o Yoga não é

Yoga significa união. A raiz “jug” da palavra em sânscrito, significa jungir (unir). O propósito do yoga é a união com o Absoluto, a re...

Últimos artigos