Não tenha medo de errar



Quem comete um erro, o faz justamente porque não alcançou a graduação necessária para não errar. Errar faz parte do aprendizado, ninguém erra por opção, talvez erre por imaturidade, despreparo ou falta de uma consciência mais profunda da realidade. 
Nenhuma criança aprende a andar sem cair. O erro revela, portanto, uma ausência seja de habilidade, de conhecimento, de entendimento, de maturidade ou de consciência.
Mas, por mais estranho que possa parecer essa minha afirmação, aquele que erra é aquele que está arriscando, buscando um desenvolvimento, experimentando, enfim, aquele que precisa suprir demandas evolutivas, ao passo que aquele que acerta está apenas reproduzindo aquilo que já conquistou ou confirmando aquilo que já sabe, portanto, é muito mais estático e acomodado.

Quem acerta sempre só revela o que já sabe, é preciso errar para aprender coisas novas.
Viver com medo de cometer algum erro é viver programado por normas e doutrinas, quem garante que elas estão certas? Você quer viver na escravidão de conceitos engessados daquilo que vendem como certo e errado?

Estamos aqui para aprender, nenhum aluno aprende sem errar respostas ou cálculos. Culpar-se por decisões equivocadas, experiências que não deram certo ou escolhas infelizes é contraproducente. Levante e continue tentando, certamente você irá aprender.
Se você não consegue conter os seus impulsos, se não consegue resistir às suas inclinações, saiba que não há nada de errado contigo, você veio aqui para isso: enfrentar as próprias limitações.

Pior seria esconder-se dentro de uma ostra e deixar de conhecer o oceano que está à sua volta.
Aqueles que transgridem normas, enfrentam as convenções estabelecidas e se expõem, são justamente os mais interessantes. Serão chamados de loucos, desajustados, inconsequentes, mas serão eles que farão história. 

Para inventar a lâmpada elétrica, Thomas Edison usou 6.000 materiais diferentes, efetuou 1200 testes e gastou a quantia de U$ 40.000 no processo, porém, cada momento valeu o esforço.
Estaríamos vivendo nas trevas até hoje se não houvesse alguém disposto a enfrentar, sem desanimar, os erros de percurso.

Por que o erro é tão demonizado, então? 
Dizem alguns estudiosos da psique humana que não existe a menor possibilidade de alguém fazer o mal por escolha, pois toda decisão de alguém, seja ele quem for, é motivada por uma crença, ou seja, o infrator acredita que a melhor forma de resolver determinado problema é justamente a que escolheu, talvez por desconhecimento ou por não ter uma consciência profunda da realidade, o fato é que todos fazem aquilo que acreditam ser o melhor.

Não estou defendendo o erro, o crime, a infração, nada disto, estou apenas provocando reflexões. Julgar e condenar é muito fácil, difícil é orientar, educar e esclarecer aqueles que ainda expressam, através de sua idade astral, profundas limitações de entendimento.

Infelizmente, vivemos em um mundo que não é cristão, é ainda fariseu, pois adora impor penas e fazer juízos.
Quando o amor estiver na pauta das discussões humanas, talvez possamos entrar em um novo estado de bem-estar social. Enquanto isso, o erro estará presente como o nosso maior professor.



Autor: Paulo Tavarez
   
Terapeuta Holístico, Palestrante, Musico, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define.
Eu sou o que Eu sou!

E-mail: paulo.tavarez@cellena.com.br

Comentários

Últimos artigos

Captação Psíquica

Desperte o Leão que existe em você

Plenitude

Aprenda a calar a boca!