Ódio: a escolha mais estúpida!



Enquanto existir um sentimento de ódio em nosso ser estaremos no inferno, pois ele é quem melhor representa esse estado alterado da nossa alma. Quando estamos imantados deste sentimento, o corpo parece queimar-se por dentro, como se estivéssemos mesmo no inferno.

O ódio está presente em todos os sentimentos negativos que alimentamos em nossa alma, mesmo que não tenhamos consciência disso. Basta analisarmos friamente: a culpa não é a nada mais do que um sentimento de ódio por si mesmo, pois ao olharmos para os nossos atos, especiamente aqueles não aprovamos, um sentimento de desprezo por si, carregado de raiva, toma conta de todo o nosso ser.
O remorso e o arrependimento também, pois são estados prolongados de culpa onde destilamos energias de baixíssimo teor como se estivéssemos no caldeirão do diabo.
A frustração, por sua vez, é um sentimento de ódio contra o destino e a não aceitação surge com essa mesma carga afetiva, sem contar, que este sentimento apresenta-se, quase sempre, com os seus companheiros inseparáveis: o desânimo e a descrença. 

A indignação se reveste também desta mesma energia pesada e nos motiva a tomarmos as piores decisões, pois ficamos completamente envolvidos por forças negativas que nos conduzem a escolhas pouco recomendadas.

Seguindo por essa senda, o que seria a inveja senão um sentimento sofisticado de ódio? O invejoso, ao mesmo tempo, sente ódio do invejado e ódio de si mesmo, é terrível, torna-se uma verdadeira metralhadora giratória e emoções funestas.

Não existe um lugar determinado no Universo que possa estar reservado àqueles que pecam, pois esse lugar está no próprio ser. As portas do inferno se abrem todas as vezes que somos assaltados por sentimentos de ódio, ira, raiva, cólera, assim por diante. O calor do inferno será percebido imediatamente no momento em que nos desequilibramos. Estaremos queimando no inferno desde logo.

Ninguém será conduzido à presença de um Juiz, como ocorre no mito grego em que somos julgados por Minos e seus dois assistentes. O Tártaro, reservado àqueles que precisam ser castigados, já está presente em nossa mente e adentramos nesse território de expiação todas as vezes que lançamos mão de sentimentos pesados como este. 

Os danos causados à nossa saúde pela má gestão emocional é incalculável, desde uma pressão alta até um câncer, todas as consequências são possíveis.

Devemos nos livrar desse veneno, reagir aos condicionamentos negativos que nos impelem ao ódio, buscar um entendimento cada vez maior e sistêmico da própria natureza para não colocar-se em pé de guerra contra o mundo. 

Contra todo esse estado de coisas, o próprio Jesus já prescreveu uma fórmula mágica: 

“Não resistais ao mal; mas se alguém te ofender com um tapa na face direita, volta-lhe também a outra. E se alguém quiser processar-te e tirar-te a túnica, deixa que leve também a capa. Assim, se alguém te forçar a andar uma milha, vai com ele duas. Dá a quem te pedir e não te desvies de quem deseja que lhe emprestes algo. Ame os que o odeiam”.

Vejam que não há ação mais inteligente do que essa, pois na essência deste ensinamento está o amor: o solvente maiz eficaz contra o ódio que é uma das argilas do sofrimento humano.



Autor: Paulo Tavarez
   
Terapeuta Holístico, Palestrante, Musico, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define.
Eu sou o que Eu sou!

E-mail: paulo.tavarez@cellena.com.br

Comentários

Últimos artigos

Captação Psíquica

Desperte o Leão que existe em você

Plenitude

Aprenda a calar a boca!