sexta-feira, 19 de julho de 2019

Você é o Obstáculo



Sua vida é um emaranhado de tristezas? As pessoas de seu convívio são ingratas? Ninguém consegue te enxergar? Nem os próprios filhos te consideram? Quem é o culpado por esse calvário? 

Na verdade, não se trata de procurar culpados, não existem nem vítimas nem algozes nesse jogo da vida, todo ser humano recebe do Universo aquilo que precisa para acordar, estamos em uma escola e o objetivo é aprender para o nosso despertar, enquanto isso, atraímos aquilo que sintonizamos com a nossa frequência, portanto, somos os únicos responsáveis pela nossa infelicidade. 

Não adianta vivermos de pires na mão à espera de carinho, compreensão, elogio e a gratidão de quem quer que seja, pois desta forma apenas continuaremos reproduzindo as nossas enfermidades. Não serão as migalhas de afeto que nos farão melhores, ninguém é capaz de preencher esse vazio, apenas nós mesmos. 

Ora, mas que raio de frequência é essa que estou criando?

Cada ser humano traz uma bagagem emocional distinta e dentro dessa mala existem medos, remorsos, culpas, frustrações, raivas e desejos. Esse conjunto abstrato de energias desconfortáveis responde pela frequência vibratória da alma e é, justamente, através dessa vibração que criamos nossas sintonias, portanto, atraímos como um imã, tudo aquilo que acaba se estruturando ao nosso redor. Criamos, dessa forma, a nossa realidade. Nossa escolhas, nossas atitudes, nosso comportamento, tudo aquilo que fazemos no ‘automático’ não é nada mais do que uma ação emocional, mesmo que pensemos estar sendo racionais a nossa razão é profundamente influenciada pelas nossas emoções.

“As pessoas não me tratam bem” Claro, nem você mesmo se trata!

“Meus filhos se aproveitam de mim” Lógico, você permite, não conseguiu se desapegar, mimou e protegeu de forma excessiva, deu luz mas não conseguiu tirar de dentro, fez questão de mantê-los presos no cárcere das suas inseguranças, agora paga o preço.

"Vivo sendo violentado pela vida". Quem você acha que está atraindo essa violência? Quem acredita na violência acaba sendo violentado mesmo. Muitas vezes, nossa dificuldade em nos perdoarmos, faz com que inconscientemente sejamos agredidos, pois nos achamos dignos de agressão.

Enquanto você se achar um lixo será tratado como tal, enquanto acreditar que é fraco continuará vivendo na insignificância, se continuar convicto de que é incapaz viverá na escravidão, se vive criando limites para si continuará limitado, se pensa que é feio nunca irá gostar de si, se pensa que é burro será eternamente hostilizado. Tudo será construído a partir dos seus projetos. Por que viver assim? Não é mais fácil assumir a responsabilidade por si mesmo, fazer afirmações melhores e acordar desse longo estado de letargia? 

Não pense que você é bonzinho não, todos nós somos egoístas e não poderia ser de outra forma. Até quando fazemos o bem, estamos em busca de alguma compensação futura. Seja egoísta convicto, pense muito em si mesmo, saiba se elevar, afinal, cada alma que se eleva, eleva o mundo. Enquanto você permanecer lá embaixo, com a frequência pesada, vai sintonizar com tudo que está lá embaixo e não espere encontrar santos e deuses no inferno em que você escolheu para viver, lá embaixo as companhias sempre serão outras. Pare de acreditar que felizes são os que sofrem, tudo isso foi distorcido pelos interesses da igreja.

Não caia nas armadilhas do mundo, não viva em busca do pássaro azul da felicidade, ele existe, mas não está solto por aí, está preso no seu interior, engaiolado pelas grades de ilusões que foram escolhidas por você, como um modelo de vida. 

Saiba, Deus não cria nada imperfeito, você é divino, apenas vive como um mendigo às portas de um castelo. Não percebe que é o dono desse castelo e que o trono sempre será seu.


Autor: Paulo Tavarez
   
Terapeuta Holístico, Palestrante, Musico, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define.
Eu sou o que Eu sou!

E-mail: paulo.tavarez@cellena.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ultimo Artigo

O que o Yoga não é

Yoga significa união. A raiz “jug” da palavra em sânscrito, significa jungir (unir). O propósito do yoga é a união com o Absoluto, a re...

Últimos artigos