Os mansos herdarão a Terra







Se partirmos dessa premissa cristã, parece que poucos herdarão a Terra, pois quando olhamos para a humanidade, tudo que podemos perceber é que são raras as pessoas que são mansas e pacíficas, na verdade, sobra violência. Pessoas estressadas, nervosas, intransigentes e intratáveis estão em grande número e representam, com certeza, a maioria. 

A grande verdade é que poucos reunirão condições de pertencer a esse planeta sem degradá-lo, especialmente se ele tornar-se um lugar melhor como previsto em tantas tradições religiosas. 

O estágio atual da humanidade é o da ignorância e o que é pior: eles se orgulham disso. Parecem estar perfeitamente ajustados às suas vaidades e pouco importam-se com a Verdade. Querem permanecer nas sombras, nutridos por prazeres doentios e desenvolvendo-se de forma negativa. Não conseguem pensar de forma sistêmica, integrativa, deste jeito, não sabem o que é fraternidade, por isso, estão muito distante de entender o que é amar uns aos outros.

O homem hodierno, por desconhecer a sua verdadeira natureza, transita pelo mundo orientado por emoções grosseiras, reagindo em explosões de ódio, destilando preconceitos, fazendo julgamentos e reproduzindo através dos seus atos, o que existe de mais reprovável na alma. O pior de tudo é constatar que ele está transformando a própria vida (aquilo que deveria ser um aprendizado) em uma experiência de luta. Com isso o outro passa a ser um inimigo e o mundo transforma-se em uma gigantesca arena. Ao invés da colaboração ele adota a competição e o combate. Ao invés de viver entre irmãos ele vive entre adversários. Como salvar essa humanidade?

A vida não é uma luta, a vida é rendição. É preciso render-se e aceitar o que ela estiver nos ensinando, isso não é covardia ou comodismo, é muito mais do que isso: isso é poder. Apenas um ser muito poderoso é capaz de não afetar-se com os eventos externos e permanecer equilibrado. Apenas ele é capaz de testemunhar qualquer experiência sem problematizar.

Dizer não é muito mais difícil do que dizer sim, concordar com esse mundo doente implica em adoecer, entretanto, na idade astral atual da humanidade, é muito difícil desvencilhar-se das seduções da sociedade. Oferecer a outra face, da mesma forma, é para poucos, apenas os mais poderosos conseguem. Os fracos e ignorantes apenas reagem de acordo com os seus conceitos primitivos de certo e errado, pois foram programados para isso: reagir. 

O pior escravo - como diria Goethe - é aquele que julga ser livre sem o ser. É triste perceber que as pessoas são o que não são, dizem o que não querem, fazem o que discordam, enfim, são absolutamente conduzidas por forças que desconhecem.

Só há um caminho para a libertação: é o caminho do desinteresse. Enquanto o mundo despertar o nosso interesse, estaremos presos. Quando não houver mais nada nos prendendo a nossa Consciência acordará.



Autor: Paulo Tavarez
   
Terapeuta Holístico, Palestrante, Musico, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define.
Eu sou o que Eu sou!

E-mail: paulo.tavarez@cellena.com.br

Comentários

Últimos artigos

Captação Psíquica

Desperte o Leão que existe em você

Plenitude

Tudo está em você