Você é a própria graça






A graça que você quer alcançar não está fora, escondida em algum canto. A graça está em você, na verdade, a graça é você, pois o Estado de Graça é o seu estado natural.

Infelizmente um véu de ilusões impede que o seu eu natural se manifeste. Os hindus o chamam de véu de Maya. Maya é o nome de uma deusa indiana que representa a ilusão em todas as suas manifestações. A ilusão do mundo físico é Maya. Embora a tua alma esteja encarnada em Maya, sujeita ao espaço, tempo e matéria, ela mantém os atributos da verdade, consciência, existência e êxtase. 

Você, como toda humanidade está em processo de despertar de consciência, um processo ainda embrionário onde tudo é difuso e a dificuldade de segurar as rédeas da mente é gigantesca. É preciso lembrar que poucos indivíduos passam pela experiência da graça, pois a grande maioria está imersa na realidade do corpo e da mente e sequer entende o que esta sendo tratado nesse texto.

Você deixou de ser o que é pelo desejo de ser isso ou aquilo, com isso, uma ânsia por inflar-se de importância e poder tomou conta do teu ser. Dessa forma, você vive entorpecido, como se estivesse hipnotizado, como um morto-vivo vagando pelo mundo. Talvez essa seja a mensagem oculta do seriado “the walking dead”: somos zumbis, simplesmente isso. 

Você acredita que é uma pessoa e com isso as preocupações aparecem, pois você passa a sofrer com as infinitas necessidades que cria e não percebe que é tudo ilusão. Esse não é você, tudo isso é apenas um programa, nada mais. Você está identificado com um construto mental, pessoal, conhecido por ego. 

Você não consegue perceber a realidade e nem entrar na graça porque está adormecido, em um transe profundo, totalmente inconsciente e distante de si mesmo e aceita essa identificação equivocada. Você é apenas um cadáver como tantos outros que perambulam por essa Matrix.

A triste constatação é que você vive em um mundo onírico e não sabe mais o que é real. Parece a experiência do sábio chinês que ao sonhar ser uma borboleta, acordou sem saber exatamente o que, de fato, era a realidade. Pensava ele: “sou o sábio sonhando ou a borboleta sonhando?”.

Só quem despertou a kundalini, presenciou o encontro de Shiva e Shakti, sabe o que é um verdadeiro estado de graça. Sabe o que é a Verdade, conhece a Realidade, pois conseguiu enxergar o mundo com as suas verdadeiras cores.

Jesus chamava esse fenômeno de Reino de Deus. Usou inúmeros exemplos para explicá-lo, precisou lançar mão de parábolas para que esses ensinamentos não se perdessem e não deixou de postular com veemência: “O Reino de Deus está dentro de vós”. Se Deus vive em nós, se o seu reino está dentro da gente, significa que somos Deuses. Sendo deuses, tudo o que dizem a nosso respeito é mentira. Não somos fracos, impuros, limitados, burros, imperfeitos, nada disso, a nossa verdadeira natureza é cheia de graça e beleza.

Não consigo entender por que as religiões não ensinam isso. Por que razão eles insistem e em reforçar conceitos tão ruins do ser humano. Ensinam seus fiéis que eles são pecadores, que estão possuídos por demônios, que são imperfeitos, que são atrasados, assim por diante. Querem que eles se convençam que são fracos e precisam da proteção da igreja, do templo, do centro, da sinagoga ou de qualquer grupo religioso.

Esse tipo de discurso sempre esteve presente nas civilizações: transformar feras em ovelhas, pois quanto maior for o rebanho, maiores serão os lucros. 

Se você continuar acreditando que precisa de um pastor, significa que você foi convencido de que é fraco e que eles tiveram um enorme sucesso nessa programação.

Só o conhecimento de si mesmo poderá libertar aquele que estiver envolvido com ideias tão limitantes.





Autor: Paulo Tavarez Terapeuta Holístico, Palestrante, Musico, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define.
Eu sou o que Eu sou!

Comentários

Últimos artigos

Captação Psíquica

Desperte o Leão que existe em você

Plenitude

Tudo está em você